Reeditado manifesto contra Suape escrito há 35 anos por grupo de intelectuais

Em 1975, mais precisamente no dia 5 de abril, sete economistas, ecólogos, sociólogos, historiadores, geógrafos e nutrólogos publicaram um manifesto contra o Porto de Suape, na época apenas um projeto. O documento, redigido numa máquina de escrever, ressurgiu esta semana, em seminário sobre o tema realizado terça, na OAB-PE, em comemoração à Semana do Meio Ambiente. O economista da Fundação Joaquim Nabuco Clovis Cavalcanti, idealizador e primeiro signatário, apresentou o texto, a pedido da Associação Pernambucana de Defesa da Natureza (Aspan). A temática, é verdade, é mais econômica que ambiental, mas o manifesto, que teve que ser redigitado para publicação no blog, é atualíssimo, apesar de ter completado recentemente 35 anos. Leitura obrigatória para quem quer entender por que o Comitê em Defesa dos Manguezais, criado há menos de dois meses por meia dúzia de entidades, agora reúne 82, todas contra o desmatamento de 508 hectares de mangue, 17 de mata atlântica e 166 de restinga em Suape, com a autorização da Assembleia Legislativa, a pedido do governador Eduardo Campos. Os outros signatários são, nesta orgem, o ecólogo João Vasconcelos Sobrinho (1908-1989), o nutrólogo Nelson Chaves (1906-1982), o historiador José Antônio Gonsalves de Mello (1916-2002), o sociólogo Renato Carneiro Campos (1930-1977), o sociólogo Roberto Martins e o economista Renato Duarte. Clóvis Cavalcanti conta que convidou ainda o sociólogo Gilberto Freyre (1900-1987) e o geógrafo Manoel Correia de Andrade (1922-2007) a assinarem o manifesto. Mas não quiseram fazê-lo. Explicaram por que a mim próprio, que os procurei pessoalmente, e, mais tarde, em matérias de jornal, recorda. Clique em FULL para visualizar a tela inteira e ESC para retornar. Suapemanifesto

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario
quote
bold
italicize
underline
strike
url
image
quote
quote
smile
wink
laugh
grin
angry
sad
shocked
cool
tongue
kiss
cry
smaller | bigger

busy

Curta nossa página no Facebook