A usina mágica

Leslie Tavares * Não é possível mais esconder que Suape é uma colcha de retalhos do oportunismo empresarial e político. Essa lógica foi exposta pela proposta de Suape III, que prevê a construção da maior termelétrica movida a óleo combustível do mundo, ou, a mais suja usina do mundo. Sem qualquer cuidado ou sensibilidade, o governo anunciou como se fosse um Oscar a construção de um empreendimento ambientalmente sujo e duvidosamente necessário. Quando digo ambientalmente sujo, é porque de tão sujo está em franca decadência em mundo todo, inclusive em nosso País, e aqui chamo atenção para a saúde das pessoas que ficarão expostas a uma poluição atmosférica com altos índices de óxidos de nitrogênio e enxofre; para os empreendimentos de turismo que certamente perderão sua atratividade e para o bolso do consumidor que pagará a conta por isso, já que mais de 60% do investimento de R$ 2 bilhões vêm do BNDES. Duvidosamente necessário porque se o sistema nacional é interligado, essa alternativa energética não obrigatoriamente deveria ser construída em Pernambuco, se for, poderia muito bem utilizar um combustível menos poluente e além disso, a geração de empregos é pífia, já que 500 postos de trabalho podem ser obtidos com o funcionamento de um único resort. Nessa situação as contradições são tantas que não podem ser escondidas, como foi o caso da recente declaração de um secretário sobre o grupo empreendedor, tão ácida quanto a chuva que poderá cair sobre Porto de Galinhas ou o Recife. Então por que propostas como essa, já prontas e formatadas, aparecem como cartas na manga de um mágico? E lembrem que este ano já saiu da cartola um porto inteiro. A resposta está siplesmente na facilidade com que se pode beneficiar o privado e onerar o público. Sociabilizar os prejuízos nunca foi tão conveniente. Essa prática aumenta enormemente a avaliação econômica dos empreendimentos, ao mesmo tempo em que os danos coletivos facilmente podem ser travestidos de fatalidade, como os ataques de tubarão em Boa Viagem. Além disso, palavras como geração de emprego e renda são sedutoras em uma região que sempre exportou mão-de-obra. Diante delas, passa quase despercebido o fato de Pernambuco estar recepcionando de forma incondicional empreendimentos rejeitados em outros Estados. E o pior: a velocidade com que isso acontece não permite a compreensão de todos os aspectos negativos e positivos envolvidos, a análise criteriosa e a democratização das decisões. De fato, a usina é dada como certa e ninguém sabe pra que lado vão as perigosas emissões. Para quem gosta de se lembrar dos avós, o meu dizia que a pressa é inimiga da perfeição. A termelétrica simboliza justamente esse ditado. Sem que houvesse a oportunidade de se pensar, por exemplo, no uso energético das milhares de toneladas de bagaço de cana que mal utilizamos, o Estado aceitou, sem pestanejar, promover o que há de mais arcaico, ultrapassado e nocivo, de forma completamente desatenciosa com sua população e na cont...

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario
quote
bold
italicize
underline
strike
url
image
quote
quote
smile
wink
laugh
grin
angry
sad
shocked
cool
tongue
kiss
cry
smaller | bigger

busy

Curta nossa página no Facebook