Penas de aves mostram o aumento da poluição nos últimos 120 anos

WASHINGTON - Penas de aves marinhas do Oceano Pacífico recolhidas nos últimos 120 anos mostram o incremento de um tipo de mercúrio tóxico que viria, provavelmente, de atividades humanas contaminantes, disseram cientistas americanos na segunda-feira (18). Pesquisadores da Universidade de Harvard tiraram de duas coleções de museus dos Estados Unidos mostras de penas pertencentes ao albatroz de patas negras, em risco de extinção, afirma o estudo publicado nas Atas da Academia Nacional de Ciências. Uma análise das penas, datadas de entre 1880 e 2002, mostram um incremento dos níveis de metilmercúrio, una neurotoxina que puede causar danos ao sistema nervoso central e que provém da queima de combustíveis fósseis, assinala o estudo. Acredita-se que os crescentes níveis de mercúrio nos peixes e nos alimentos de origem marinha representem uma ameaça para a saúde humana, em particular para crianças e mulheres grávidas. De algum modo, essas penas de aves representam a memória do oceano, disse um dos autores do estudo, Michael Bank, um cientista do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública de Harvard. Nossas descobertas abrem uma janela das condições históricas e atuais do Pacífico, uma área pesqueira fundamental para as populações humanas, disse Bank. As concentrações mais altas nas penas foram vinculadas à exposição das aves no período posterior a 1990, que coincide com um pico recente das emissões de carbono provenientes das regiões da Ásia-Pacífico, em particular da China, diz o estudo. Da Agência France Presse.

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario
quote
bold
italicize
underline
strike
url
image
quote
quote
smile
wink
laugh
grin
angry
sad
shocked
cool
tongue
kiss
cry
smaller | bigger

busy

Curta nossa página no Facebook