Coordenador do MST critica comunistas que defendem reforma do Código Florestal

BRASÍLIA e RECIFE - Ambientalistas e agricultores ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e à Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf) fizeram uma marcha na quinta, 7, e na Esplanada dos Ministérios, em protesto contra a proposta de reforma do Código Florestal, do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP). A ideia era mostrar que não só ambientalistas, mas agricultores também estão preocupados com o suposto afrouxamento das regras de proteção ambiental, previsto na reforma. O protesto reuniu cerca de mil pessoas. No dia 6, os ruralistas levaram 15 mil à Esplanada, em defesa da proposta de Rebelo. ; Para fazer mudança no Código Florestal, é preciso dialogar com a sociedade. Não pode ser feita por pressão de um único grupo. Essa é uma questão que diz respeito a toda a sociedade porque não envolve só a agricultura. Estamos falando de vida, do planeta, de alimentos de qualidade e sem agrotóxicos ; disse Elisângela Araújo, coordenadora-geral da Fetraf. Ao longo do protesto, uma comissão de manifestantes teve uma reunião com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Ela informou ao grupo que, na próxima terça-feira, o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, se reunirá com outros ministros para definir uma posição do governo sobre a reforma do Código Florestal. Ambientalistas e agricultores acham que a reunião de ministros é um bom indicativo. ; Isso mostra que o governo tem divergências com o relatório do Aldo Rebelo ; afirmou Márcio Santilli, coordenador de Políticas e Direito Socio Ambiental do Instituto Socioambiental (ISA). Os manifestantes também tiveram encontros com os presidentes da Câmara, Marco Maia (PT-RS), e do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Maia disse que seu papel é intermediar a negociação entre as partes envolvidas nas discussões sobre a reforma do código. Sarney prometeu abrir espaço para ambientalistas e agricultores, quando o projeto chegar ao Senado. Os manifestantes caminharam da Rodoviária até o Congresso, um percurso de pouco mais de dois quilômetros, sem incidentes. As discussões sobre a reforma do Código Florestal vêm se arrastando na Câmara desde o ano passado. Rebelo apresentou proposta que permite a redução das áreas de preservação obrigatória em propriedades particulares. A proposta ainda prevê anistia para agricultores multados por crimes ambientais. Na próxima semana, ambientalistas e trabalhadores da agricultora vão ganhar apoio importante. Representantes da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e da Academia Brasileira de Ciência deverão divulgar nota com críticas ao relatório de Rebelo. Os cientistas entendem que as áreas de proteção ambiental não impedem o aumento da produção agrícola. Para eles, as áreas já desmatadas são suficientes para atender as demandas da produção. Basta aumentar a produtividade. RECIFE O coordenador nacional do MST, João Pedro Stédile, criticou na quinta, 7, o deputado do PCdoB e ironizou a condição ...

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario
quote
bold
italicize
underline
strike
url
image
quote
quote
smile
wink
laugh
grin
angry
sad
shocked
cool
tongue
kiss
cry
smaller | bigger

busy

Curta nossa página no Facebook