Entidades lançam nota de esclarecimento sobre desmatamento recorde

Entidades ambientalistas e integrantes de movimentos sociais lançaram, nesta quinta, durante vigília na Rua da Aurora, nota de esclarecimento (leia abaixo) contra projeto de lei em tramitação na Assembleia Legislativa de Pernambuco que prevê o desmatamento de 1.076,49 hectares de vegetação nativa no Complexo Industrial e Portuário de Suape, no Grande Recife. Um hectare equivale a 10 mil m², o correspondente a um campo de futebol. As ONGs pedem um novo Relatório de Impacto Ambiental (Rima). O Rima de Suape é de 2000, quando não estavam previstos os empreendimentos que estão sendo implantados atualmente, alega Marcos Pereira, do Movimento Salve Maracaípe, uma das entidades que integraram a vigília. Para o presidente da Associação de Pescadores e Moradores de Ipojuca, Geraldo Ilário, é preciso calcular os impactos do desmatamento do mangue sobre a atividade pesqueira. Eles dizem que serão gerados 30 mil empregos. Os pescadores não são empregados, são autônomos, e sem peixe vão perder seu sustento. O projeto de lei, de número 1496/2010, foi aprovado pela Comissão de Constituição, Legislação e Justiça no dia 20. Prevê o desmatamento de 893,4 hectares de mangue, 17,03 de mata atlântica e 166,06 de restinga para a ampliação do complexo portuário. Mas esse avanço pode ocorrer em terra firme, e não no mangue, defende Christiane Rothvoss, do Salve Maracaípe, uma das 30 entidades que realizaram a vigília, em frente à Assembleia Legislativa. Leia abaixo o manifesto. Clique em FULL para visualizar a tela inteira e ESC para retornar. Foto: Alexandre Gondim, JC Imagem, 22/04/2010. Nota de esclarecimento

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario
quote
bold
italicize
underline
strike
url
image
quote
quote
smile
wink
laugh
grin
angry
sad
shocked
cool
tongue
kiss
cry
smaller | bigger

busy

Curta nossa página no Facebook