Usina nuclear afetará telescópio no Sertão

Publicado em 26.02.2011, no Jornal do Commercio. A construção de uma usina nuclear em Itacuruba, no Sertão, a 466 quilômetros do Recife, inviabiliza o funcionamento do telescópio instalado ano passado no município para a observação de asteroides que possam vir a colidir com a Terra. A poluição luminosa gerada por um empreendimento desse porte inviabiliza a observação do céu noturno, explica a astrônoma Daniela Lazzaro, coordenadora do projeto Iniciativa de Mapeamento e Pesquisa de Asteroides nas Cercanias da Terra no Observatório Nacional (Impacton). O projeto foi idealizado em 2005 mas só dois anos depois a equipe do Observatório Nacional, com sede no Rio de Janeiro e vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, escolheu Itacuruba. A baixa pluviosidade registrada no local e o fato de abrigar poucos habitantes (4.369 em 2010, segundo IBGE) foram os principais critérios, lembra a pesquisadora. As obras começaram em seguida e em julho do ano passado o telescópio foi instalado. A infraestrutura e o equipamento - item mais caro do Impacton - custaram perto de R$ 2 milhões, segundo a astrônoma. Ainda vou me informar melhor sobre a usina nuclear, mas se for mesmo construída em Itacuruba, provavelmente teremos que procurar outro lugar para abrigar o telescópio, adianta. A escolha de Itacuruba para a construção da usina nuclear - a primeira do Nordeste - foi divulgada com exclusividade pelo Jornal do Commercio dia 19. A matéria se baseou em documento oficial do escritório regional Eletronuclear, estatal responsável pela implantação e operação de usinas nucleares no governo federal. O telescópio está em fase de testes. Ou seja, esta é a última etapa antes do equipamento entrar em operação. Na prática, ele já está em funcionamento, diz Daniela. A preocupação com a interferência de luzes no céu noturno é tanta que a equipe do Impacton iniciou em Itacuruba e municípios vizinhos campanha para que postes de iluminação pública e de equipamentos de lazer como campos de futebol estejam voltados para o solo. Na opinião da pesquisadora, não se pode comparar um projeto com o outro. Não se trata de verificar o que tem mais importância para a população, se a usina ou o telescópio. É claro que ambos são muito úteis. O telescópio pode ajudar a evitar desastres, enquanto a usina garante a segurança energética. Mas é preciso ver, por exemplo, se não há outro local para a usina, uma vez que o observatório já está instalado e em funcionamento. Estudos estatísticos indicam que aproximadamente 70% dos objetos próximos à órbita terrestre, com tamanho capaz de causar grandes catástrofes (entre centenas de metros até alguns quilômetros de raio de ação), ainda não foram descobertos.

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario
quote
bold
italicize
underline
strike
url
image
quote
quote
smile
wink
laugh
grin
angry
sad
shocked
cool
tongue
kiss
cry
smaller | bigger

busy

Curta nossa página no Facebook