Macaco-prego-galego tem filhote em cativeiro

Publicado em 15.02.2011, no Jornal do Commercio. Texto: Thais Gouveia O projeto de criação em cativeiro de macacos-prego-galegos do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), em parceria com na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), recebeu mais um exemplar da espécie considerada em estado crítico de extinção. De forma natural, nasceu um filhote saudável, na semana passada, aumentando para 13 o número de animais da colônia. Este foi o quarto nascimento em cativeiro no País, desde que os macacos-prego-galegos começaram a ser criados para reprodução em cativeiro. Os dois primeiros aconteceram em São Paulo, onde também há um projeto semelhante ao desenvolvido na Paraíba. No centro de criação paraibano, outra fêmea já havia concebido um filhote, há dois anos, aproximadamente. Esse filhote, inclusive, está no zoológico do Recife desde que completou um ano, onde também está sendo criada uma colônia reprodutiva em cativeiro. Outros animais que saíram daqui da Paraíba estão no Piauí, contou a coordenadora do setor técnico-científico do Centro de Primatas Brasileiros (CPB), Mônica Montenegro. Por enquanto, mãe e filhote estão convivendo com os outros macacos no mesmo espaço. Mas a acomodação da nova família vai depender do comportamento da colônia. Precisamos acompanhar como eles recebem esse novo integrante. No primeiro nascimento em cativeiro, em São Paulo, a mãe não quis saber do filhote e ele precisou ser retirado do grupo. Já o segundo caso não teve problema algum. Quando o filhote nasceu aqui na Paraíba, casal e filhote foram isolados, porque a colônia inteira rejeitou, lembra a estudiosa. A criação e reprodução em cativeiro foi uma alternativa achada pelos pesquisadores para preservar a espécie. Os macacos-pregos-galegos podem ser encontrados na natureza em apenas quatro Estados brasileiros: Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Todos os que deram origem à colônia vieram de criadouros ilegais. Foram apreendidos e passaram a ser estudados, conta Mônica Montenegro. Por ser uma espécie que começou a ser estudada recentemente, em comparação com outros primatas, pouco se sabe sobre os macacos-prego-galegos. Estima-se que, em cativeiro, os animais vivam em torno de 40 anos. A expectativa de vida pode cair até a metade na natureza. Fêmeas da espécie atingem a maturidade sexual quando completam 4 ou 5 anos. Já os machos, passam para a fase adulta aos 7 anos, em média. Nota do blog: o filhote nasceu na sexta-feira, 11 de fevereiro, segundo o jornal O Norte.

Comentarios (1)Add Comment
...
escrito por Luis Fernando rodriques da silva , abril 18, 2011
amo que amo a vida animal smilies/grin.gif
report abuse
vote down
vote up
Votes: +0

Escreva seu Comentario
quote
bold
italicize
underline
strike
url
image
quote
quote
smile
wink
laugh
grin
angry
sad
shocked
cool
tongue
kiss
cry
smaller | bigger

busy

Curta nossa página no Facebook