Marinha explica nesta terça a venda de manguezal

Publicado em 14.12.2010 no Jornal do Commercio. Texto: Cleide Alves, da equipe de Cidades Comissão formada por deputados, vereadores, promotores, pescadores, ambientalistas, governo do Estado e Prefeitura do Recife encontra-se às 10h de hoje com o comandante da Capitania dos Portos de Pernambuco, Mauro José da Silva Gonçalves, para conversar sobre a venda do manguezal do Pina. A reunião foi sugerida pelo comandante, que não pode comparecer à audiência pública realizada na manhã de ontem pela Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa (Alepe). Vamos levar o posicionamento de todas as instituições presentes à audiência, contrário à venda do manguezal, informa a deputada Ceça Ribeiro (PSB), presidente da Comissão de Meio Ambiente. Para o deputado Pedro Eurico (PSDB), que convocou o debate, a comercialização da área é uma proposta desconectada da realidade. O terreno da antiga Estação Radio Pina, diz o deputado, é uma área de preservação rigorosa. Essa é a maior área do Brasil de mangue urbano, sua venda é um crime contra o patrimônio ambiental de Pernambuco, destaca Pedro Eurico. A prefeitura deve impedir a negociação, como fez com o imóvel na Tamarineira, onde seria construído um shopping center, diz. Promotor do Ministério Público de Pernambuco, Ricardo Coelho, avisa que se a Marinha do Brasil levar adiante a licitação na qual disponibiliza 248 hectares do manguezal para venda, o comprador terá feito um mau negócio. Isso porque, o empreendedor não conseguirá licenças para construir no lugar. Nem a sociedade nem o Ministério Público permitirão, alerta. Manguezal, informa o promotor, é protegido por leis federais, estaduais e municipais. Ele cita o artigo 225 da Constituição Federal, que define mata atlântica como patrimônio nacional. Manguezal faz parte desse ecossistema, ressalta. E avisa que a destruição da área implica o crime de improbidade administrativa ambiental. Decreto da Prefeitura do Recife transforma a área da antiga Estação Radio Pina no Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro. E proíbe a construção de moradia no local, conforme o secretário municipal de Meio Ambiente, Roberto Arrais. O parque tem 320,34 hectares, dos quais 225,82 hectares são mangue. A Marinha do Brasil, proprietária de quase 70% da área, sugere um sistema de permuta, trocando a área pela construção de imóveis em Natal, Maceió, Fortaleza e Olinda. A instituição pede R$ 51 milhões. As propostas da licitação serão abertas dia 21. Próximo sábado, a partir das 8h, entidades ambientalistas fazem caminhada de protesto contra a venda do Parque do Manguezal. Saem da Igreja do Pina até o parque.

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario
quote
bold
italicize
underline
strike
url
image
quote
quote
smile
wink
laugh
grin
angry
sad
shocked
cool
tongue
kiss
cry
smaller | bigger

busy

Curta nossa página no Facebook