Morador é condenado a pagar indenização por morte de cadela

PORTO ALEGRE - A 21 Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul condenou um morador de Pelotas ao pagamento de R$ 6.035,04 por danos morais coletivos provocados pela morte de uma cadela. A decisão foi tomada por unanimidade, na quarta-feira (11), dando provimento a recurso encaminhado pelo Ministério Público contra sentença de primeiro grau que havia julgado a ação civil pública improcedente. O fato que deu origem ao processo ocorreu em 9 de março de 2005, quando o réu e outros dois jovens amarraram ao para-choque de um veículo a cadela conhecida pela população como Preta, sem raça definida, em avançado estado de prenhez, e arrastaram o animal até a morte pelas ruas da cidade. O Ministério Público ajuizou a ação alegando que a prática cruel e selvagem marcou toda a coletividade. Dois dos acusados fizeram acordo de transação penal e doaram R$ 5 mil cada ao canil municipal, que também deve receber a multa aplicada agora ao terceiro participante da agressão contra a cadela, que foi a julgamento. No voto que orientou a decisão da Câmara, o relator Armínio José Abreu Lima da Rosa considerou que os valores atingidos pela conduta do réu dizem respeito a um mínimo de padrão civilizatório, onde se inclui o respeito à vida, inclusive quanto a animais próximos às criaturas humanas, não se podendo aceitar infligir-se a eles tratamento cruel. Também salientou que a exibição pública da desintegração da cadela, apenas por diversão, foi o que chocou a comunidade. Destacou, ainda, que o animal era figura conhecida da população local, com a ressalva de que, mesmo que assim não fosse, a violência dos fatos ofende aos sentimentos de compaixão e de piedade. Por Elder Ogliari (Agência Estado)

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario
quote
bold
italicize
underline
strike
url
image
quote
quote
smile
wink
laugh
grin
angry
sad
shocked
cool
tongue
kiss
cry
smaller | bigger

busy

Curta nossa página no Facebook